Biblioteca

Será que dá para ser amigo do meu chefe?

Se tem uma coisa importante que eu aprendi nos anos de janela que acumulei em grandes empresas de vários setores, e que hoje como consultor tenho visto com olhos ainda mais esclarecidos nas empresas dos meus vários clientes, é o seguinte:

É melhor ter um profissional de ponta ao seu lado do que um amigo querido.

Para muitos isso pode parecer um pouco tirano. Quem sabe até grosseiro à primeira vista, mas acredite, não é.

A democracia por definição trata de uma forma de governo feita pelo povo e para o povo. Mas as empresas não são feitas para os funcionários, nem mesmo para os empresários. Elas são feitas para os compradores. Caso contrário elas não farão nenhum sentido prático para a sociedade.

Olhando por este ângulo, infelizmente –  ou quem sabe felizmente? – concluímos que uma empresa precisa de uma espécie de governo que determine com total clareza um OBJETIVO e a FORMA DE ALCANÇÁ-LO. Como disse Ram Charan, a execução é determinante do sucesso da estratégia. Uma boa estratégia mal executada é pior do que uma estratégia fraca seguida de uma excelente execução.

Então eu prefiro ter um ótimo time de execução do que um agradável grupo de amigos.

Mas vale uma pitada de flexibilização aqui. É claro que podemos (e de certa maneira devemos) ser amigos da nossa equipe. Celebrar juntos, nos encontrar para momentos agradáveis fora do trabalho e coisa e tal. O ponto é que isso jamais deveria influenciar a linha de comando que precisa ser claramente estabelecida dentro da organização.

Este é um tema muito delicado. Sei que posso estar despertando opiniões diversas sobre o assunto, mas veja: a utilidade de qualquer empresa em qualquer setor está diretamente ligada a eficiência com que ela executa aquilo pelo que o comprador está pagando. Qualquer coisa que impeça este objetivo vai contra o propósito fundamental pelo que a empresa merece estar estabelecida.

Como disse certa vez um famoso publicitário, as empresas estão repletas de presidentes e diretores acometidos pela Síndrome de Branca de Neve. Não que eles usem tirinhas sobre os cabelos negros ou tenham alguma vez comido uma maçã envenenada. Eles são Brancas de Neve pela estatura das pessoas que os cercam.

E o fabricante de anões acaba destruído pelas próprias miniaturas que criou.

BEE. JOINTBEE. HANDS ON.

Compartilhe essa publicação!

Últimos Posts

Siga nossas Redes Sociais