Biblioteca

Como garantir que o que tem que ser feito, aconteça?

Muitas empresas encontram problemas relacionados com a capacidade de suas equipes executarem aquilo que já demonstraram ser importante para o sucesso das estratégias traçadas.

Não é difícil encontrar empresários preocupados com a execução e com o controle dos resultados de tudo o que ficou combinado nas reuniões, discussões com gerentes ou no próprio plano traçado no último trimestre.

Onde encontrar uma solução razoável e prática para este problema tão comum?

Bem, antes de falar sobre a solução é preciso definir claramente quais são as causas do problema de baixa (ou nenhuma) execução: sua equipe normalmente se perde quando em vez de tentar executar um bom trabalho – aquele que melhor resolveria a situação apresentada – passa a fazer coisas com a única finalidade de obter aprovação. Não importa mais se está certo ou errado, se traz o resultado ou se é apenas um bom projeto.

Vejo muitos casos de bons gerentes que dão seu trabalho por concluído logo depois de obter a aprovação da diretoria sobre a sua visão de como um problema poderia ser resolvido. Vejo também, muitas equipes que executam exatamente o que foi combinado, mas não se dão ao trabalho de checar se os resultados almejados estão realmente acontecendo.

Seria maravilhoso se existisse um modo de garantir que um diagnóstico sobre um problema gerasse um plano de ação simples e claro, e que este plano fosse executado. E não apenas isso, que ao longo da execução do plano alguém mantivesse um olhar crítico sobre os resultados que vão sendo colhidos para garantir que os ajustes sejam feitos a tempo.

Imagine um ciclo de trabalho que garanta exatamente esta sequência de tarefas com o objetivo de resolver o problema e trazer o resultado de forma concreta, objetiva, inequívoca.

Este “ciclo” existe há décadas, mas poucas pessoas sabem ou se interessam em usá-lo por acharem complicado ou burocrático. Talvez por preconceito. Ou por puro desconhecimento.

O Ciclo PDCA é a solução para o seu problema de baixa execução e de resultados insatisfatórios quando a sua equipe executa o que foi decidido. Pelo simples motivo de garantir que a execução das suas ideias estejam submetidas a 4 passos obrigatórios e que por si só garantem que tudo ocorra conforme o desejado, nem que seja necessário mudar tudo o que foi pensado originalmente – afinal de contas o que vale aqui é o resultado e não a simples implementação de um plano. Em outras palavras, o que vale é o dinheiro no final do dia.

P de Plano. Você está acostumado com a fase de PLANEJAMENTO, afinal é aqui que acontecem aquelas discussões sobre um problema, um mal resultado, uma queda nas vendas ou qualquer coisa desse tipo. Algumas pessoas se reúnem e começam a tentar descobrir o motivo destas coisas e acabam decidindo uma porção de tarefas que, se bem executadas, poderão trazer uma solução e reverter o quadro.

D de Executar (DO). O problema começa a acontecer quando a turma passa a EXECUTAR o que foi planejado. Existem pessoas que ficam contentes com o plano e acreditam (conscientemente ou não) que “aquela reunião bacana com o chefe que me deu a oportunidade de mostrar que eu sou capaz de encontrar um caminho para resolver o problema” é o bastante. Há equipes que simplesmente não executam o que foi planejado! E há aquelas que executam mas não verificam se os resultados desejados estão realmente vindo.

C de Checar. É exatamente aqui que entra a faze de CHECAGEM dos resultados. Ao longo da execução das tarefas você precisa verificar se elas estão realmente dando os resultados que imaginávamos quando desenhamos o plano. E se os resultados não forem bons o bastante, a experiência de executar o que foi planejado vai acrescentar uma porção de novos ângulos de visão para encontrar um novo caminho, melhor e mais eficiente para resolver o problema.

A de Agir. Aí então você AGE (!) e faz os ajustes necessários no plano original. E se for o caso de tudo estar dando maravilhosamente certo, PADRONIZAR este novo modo de agir para que nunca mais o mesmo problema aconteça na sua empresa.

P de Planejar, D de Executar (Do), C de Checar e A de Agir.

Resolver os seus problemas está mais próximo do que você imagina. Precisa de ajuda? Queremos te ajudar.

Você é uma pequena ou média empresa com este tipo de dificuldade? Liga para a gente. Nós vamos ajudar você a revolucionar para muito melhor a maneira como você identifica e resolve (de fato!) os seus problemas. O seu resultado vai te surpreender.

BEE. JOINTBEE. HANDS ON.

Compartilhe essa publicação!

Últimos Posts

Siga nossas Redes Sociais